A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Andaluzia 7: Sevilha

19 de novembro de 2009
A cidade é linda. Ficamos focados no bairro histórico Santa Cruz, onde nos hospedamos. Ficamos no Casas de La Juderia, que também pertence ao Secret Places. O quarto não é exatamente o meu tipo de quarto, porque é escuro, com móveis antigos e tal. Mas vale pelo hotel, que é formado por um aglomerado de casas, unidas por pátios internos, com um paisagismo lindo, que cria uma atmosfera toda especial. A piscina, em meio aos telhados do bairro, é única!!!

Felizmente, a temperatura melhorou em relação a Granada, tínhamos algo entre 30 e 34 graus. (Quase surtei quando o taxista me contou que em 2002 fez algo próximo a 52 graus! Dá para imaginar?) Mas é quente, bem quente. E por isso, a vontade de tomar um bom chope e tapear tomou conta da gente de novo. E Santa Cruz é perfeito para isso:

– Cerveceria Giralda – Mateos Gago, n. 1
O Salmorejo, o polvo ao forno e o pão com tomate e chevre são inesquecíveis!

– Bodega Santa Cruz – Rodrigo Caro, n. 1
A especialidade da casa é a tortillita de bacalao. Mas não deixe de provar o mussaka e o camarão empanado.

– La Antigua Bodeguita – Plaza del Salvador, n. 6
Não deixe de ir! Além do balcão abarrotado, você pode ficar na praça, em uma das disputadíssimas mesas altas. Lá, você verá não apenas turistas, mas também muitos locais que, ao fecharem o comércio para a siesta, dão uma tapeada antes de ir pra casa. As azeitonas gigantes são maravilhosas!

– Bar Europa – Calle Siete Revueltas, n. 35
Foi premiado pelo croquete de jamon. Esqueça tudo o que já te ofereceram como croquete no Brasil: este, é super cremoso, que chega a escorrer no prato, com apenas uns pedacinhos de presunto e uma casquinha bem crocante! O mussaka de lá também vale à pena.

Depois das tapas, um delicioso sorvete na Tomo II Helados, na Calle San Jose, n. 15, é uma ótima pedida. O de baunilha é algo fora do normal!!! Fica bem perto do Hotel Casas de La Juderia.

A barraquinha de churros na Praça Catalina de Rivera também merece sua visita!

Em Sevilha, você pode encontrar diversos pontos espalhados pela cidade para alugar uma bicicleta. Em Santa Cruz, há um ponto na Praça Catalina de Rivera. Com atenção e talvez a ajudinha de um local, você conseguirá tirar sua licença para alugar uma bike. Algumas dicas fundamentais: antes de escolher a bicicleta que vai querer, verifique os pneus, o breque e o guidão, pois várias delas são detonadas, pelos arruaceiros que andam pela cidade (nas palavras de uma moça que nos ajudou a fazer o registro). Ao fazer a devolução da bike, verifique se o cadeado foi realmente fechado e, após 2 ou 3 minutos, entre no sistema para ver ser a bike que você devolveu está disponível para ser alugada novamente; se a bicicleta não for trancada adequadamente, é como se ela não tivesse sido devolvida e, aí, você certamente terá problemas.

Última dica: a siesta em Sevilha também é lei!!!

4 comentários para “Andaluzia 7: Sevilha”

  1. […] também sistema de aluguel de bike em Sevilha e no Rio de […]

  2. Viviane Matos disse:

    Nossa, que legal! meu sonho conhecer!

  3. Viviane Matos disse:

    Gente que fantástico… Meu sonho conhecer essa cidade viu!

  4. Karla Gê disse:

    Adoro o blog, leio sempre, inclusive está no meu blogroll! E quero conhecer Sevilha ano que vem, mas vi que é bastante quente lá, né? Em que época do ano vc foi? Pretendo ir em outubro, será que faz muito calor nessa época?
    beijos

Deixe um comentário