A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Milão: compras, panzerotti e zabaione.

25 de novembro de 2009

Milão é a típica cidade grande, cheia de executivos de ternos bem alinhados andando para lá e para cá. As mulheres de tailleur e sapato louboutin desfilam pela Galeria Vitorio Emanuelle. Os turistas disputam espaços nas vitrines da Ferragamo e da Louis Vuitton. Cidade onde corre dinheiro; isso se vê nas ruas, na cara das pessoas. Pouco cativante, nem parece o mesmo país da Toscana, dos italianos estridentes, de apetite infindável e espontaneidade única
Tentei fugir da rota estritamente turística, mas não me dei bem. Tentei o bairro da Rua Paolo Serpi, indicado por um site: roubada master, pois é um Bom Retiro piorado, bem piorado.
Também tentei o bairro Navigali, que imaginava ser algo estilo Vila Madalena. Os restaurantes estavam vazios, algumas lojas fechadas e ninguém nas ruas. Como é lotado de bares, talvez o ideal seja ir à noite, nos fins-de-semana.
Por isso, acabava sempre ficando na região do Duomo e da Galeria Victorio Emanuelle.

Por ali, você pode encontrar tudo o que quiser comprar na Corso Victorio Emanuelle e na Via Torino.
Na Via Torino tem FNAC, Camper, Muji, Zara, Beneton, Promod, Accessorize e todas aquelas lojas que você vê nas principais cidades da Europa e que eu adoro.
A Corso Emanuelle repete muitas dessas lojas. Nela, você encontra a Rinascente, loja de departamentos com todas as marcas que puder imaginar, especialmente as mais caras (Missoni, Pucci, Diesel, Ferragamo, DKNY etc). O departamento de perfumes é ótimo, muito completo. Os departamentos de decoração e utilidades domésticas tem uma variedade imensa de itens e marcas. Você encontra absolutamente tudo: Bodum, Reisenthel, WMF, Oxo, Lampe Berger, Alessi, Fakelmann, Le Creuset, Cusinart e muito mais.
No último andar, além de encontrar várias guloseimas maravilhosas (flor de sal, chás da Kusmi, torrones, pan forte de Siena, geléias, azeites trufados etc), você pode escolher entre restaurantes ou bares para tomar um aperetivo, um café ou mesmo jantar bem ao ladinho das torres do Duomo! À noite, com as luzes do Duomo acesas, é muito lindo!

Não deixe de subir ao telhado do Duomo: alem da vista, é uma experiência inusitada, pois não é sempre que se pode subir no telhado de uma grande igreja!

Para não ser injusta, preciso dizer que tive duas experiências gastronômicas fantásticas em Milão:

Panzarroti, no Cuini – Via S. Radegonda
Passando pela rua na hora do almoço, vi filas que saiam da pequena “lanchonete”e avançavam pela rua. A fila era tão grande, que me intrigou. Voltei. Que bom que voltei! Panzarotti! Uma das guloseimas mais fantásticas que já provei! Comi duas de cara! Depois de dois dias, voltei! Que bom que voltei! Repeti a de tomate com muzzarella. Divina! Se voltar a Milão, vou direto pra lá.

Zabaione quente, no Milanese – Via Santa Marta, 11
É divino! O prato era ótimo também (tagliarini com cogumelo porcini fresco), mas o Zabaione te faz esquecer do resto, predomina na sua mente! Posso lembrar do gosto desta sobremesa!

Deixe um comentário