A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Hoje em Paris: Les Cocottes

9 de março de 2011

O nome que está por trás das famosas cocottes (panelinhas de ferro, tradicionais na França) da Rue Saint Dominique é Christian Constant, hoje chef renomado em Paris, ontem um garoto que, herdando a paixão de sua mãe, dedicava-se às mais simples atividades na cozinha da família. Depois de acumular muita experiência e construir um currículo espetacular – Ritz e Les Ambassadeurs – Constant resolveu ter seu próprio restaurante e abriu em 1998 o Le Violon d’Ingres. Mais tarde, em 2003 surge o Cafe Constant. O caçula, Les Cocottes, surgiu do desejo de oferecer algo simples, com produtos frescos vindos direto da feira, a preços razoáveis. Os três ficam no mesmo quarteirão no 7º arrondissement. O Les Cocottes tem ambiente moderno e clean. No grande balcão na entrada, no qual eu almocei, não cabem mais que uma dúzia de pessoas. Mais no fundo do restaurante há um pequeno salão com mesas. Pedi as opções do dia. Para começar, cocotte de ovo poché, com molho de cogumelos morilles, ervilhas e crutons: ponto do ovo ótimo e perfeita harmonia dos ingredientes.Teria repetido a dose!

Depois, cocotte de batatas com carne moída. Estranhamente, o prato estava salgado demais, coisa que nunca havia me ocorrido aqui em Paris.

De sobremesa, a fantástica favorite du chef – chantilly, chocolate, caramelo e manteiga salgada.

Cafezinho com todo charme e a conta.

Preço da brincadeira: 39 euros, com a taça de vinho bordeaux. E felicidade garantida. 135, Rue Saint-Dominique, metrô École-Militaire, linha 8. Obs. Agradecimentos especiais à Laura Prospero, que além da divertida companhia, me ajudou com as fotos!

Um comentário para “Hoje em Paris: Les Cocottes”

  1. […] na mesma rua também estão o estrelado Le Violon d’Ingres, nascido em 1998, e o caçula Les Cocottes. No esquema de brasserie, o Café Constant funciona desde cedo até às 23h. É, segundo Constant, […]

Deixe um comentário