A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Tudo para fazer seu Patchwork em Paris

23 de fevereiro de 2012

Costura para mim, até poucos meses, era brincadeira de criança, para vestir as barbies com algo diferente e personalizado. Mas há 5 meses resolvi me aventurar. Após duas aulas para iniciantes, comprei um livro fantástico de patchwork e decidi que era isso que queria fazer. E minha primeira peça, uma colcha super colorida e florida, está praticamente pronta! Falta apenas fazer o matelassê, que farei à mão. Foram 5 meses de dedicação entre procura dos tecidos, cortes dos quadradinhos e exatas 20 horas à máquina no atelier da Sweat Shop. Bom, nem preciso dizer que aprendi muita coisa nesse tempo. Minhas dicas estão aqui, para ajudar quem está de viagem à Paris e quer comprar tecidos diferentes  e também quem mora por aqui e quer se aventurar nesse mundo. Aviso: esse é uma caminho sem volta! Você vai se apaixonar!

 

Para tecidos estampados e coordenados: o ideal para o patchwork são tecidos de algodão. Em Montmartre você poderá encontrá-los em diversas lojas. Se, como eu, também virou fã de Liberty, o endereço é a Reine Tissues; lá você desembolsará aproxidamente 22,90 euros por metrô de Liberty. Você também encontra Liberty na La Droguerie, no Le Bon Marché, mas como são mais caros, só compro nesses dois lugares se preciso de bem pouco tecido e não estou com disposição de ir até Montmartre. Outra ótima opção com tecidos importados de qualidade é a Moline Mercerie (2,4,6 Rue Livingstone), que tem uma sala dedicada ao patchwork. Se busca cores fortes e bons preços, sugiro a Au Bonheur des Dames em Montmartre (1 a 3, Rue Livingstone), que tem algodão chinês a aproximadamente 8 euros e também vende quadrados de 45 centímetros a 2 euros cada, em diversas cores e estampas. Acabo de descobrir também um verdadeiro reduto do patchwork, a Inès Patchwork (37, Rue saint Ambroise, metrô Saint-Maur, linha 3), que além de milhares de opções de tecidos vindos de todos os cantos do mundo, também dipõe de um pequeno atelier onde são dadas aulas conforme a sua necessidade. O site também é muito interessante e dá um boa idéia de tudo o que pode encontrar na loja. Acabo de voltar de lá e fiquei encantada com os tecidos australianos (fuce no site e você vai ver como são legais!). Também comprei fibra de puro algodão orgânico macia e deliciosa que vou usar para rechear minha colcha!

Para livros: meu livro precioso, Patchwork & Quilts en Liberté, de Jane Brocket (foto abaixo),  comprei na Eyrolles (63, Boulevard Saint-Germain), livraria que tem um espaço dedicado às artes manuais que acho incrível!

Para aulas: a Inès Patchwork tem diversos cursos para debutantes e também de diversas técnicas. A Sweat Shop oferece cursos de patchwork apenas em inglês. Como resolvi aprender por um livro, não fiz curso de patchwork em nenhuma das duas; apenas fiz aula de costura para iniciantes na Sweat shop e adorei. Lá você também pode simplesmente alugar uma máquina de costura, conforme necessitar.

Os comentários estão fechados.