A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

O Paris Pass vale ou não a pena?

1 de dezembro de 2017

Muitos dos meus clientes para os quais organizo roteiros personalizados me escrevem partindo da premissa de que o Paris Museum Pass é necessário e indispensável. “Já comprei”, revela o viajante. E, ao conversar mais com este mesmo leitor, descubro que ele ficará 5 dias em Paris, visitará 3 museus – Louvre, D’Orsay e Pompidou “ou um outro, se der tempo”, a Notre-Dame  – ele nem sabe se quer subir, muito esforço – e pretenderá passar grande parte do tempo nas ruas, em lojas, em parques e praças. E não há mal algum nisso.

O que há de errado então com o tal passe? Com ele, nada. O que está errado é a forma como se coloca sua absoluta indispensabilidade em uma viagem para Paris. Ele pode ser muito bom ou até mesmo perfeito para alguns, mas pode não ser para outros. E como saber se você deve ou não comprá-lo? É preciso avaliar caso a caso.

O ideal é que você faça esta conta considerando a lista de pontos turísticos que vai visitar, lembrando-se sempre que exposições temporárias em grandes museus – que são as melhores – geralmente estão excluídas deste passe. A Torre Eiffel também. O principal é ter em mente que a aquisição deste passe não é necessariamente uma vantagem; ele pode ser muito bom para quem é doido por história e cultura e deseja conhecer e entrar em absolutamente todos os pontos turísticos como, por exemplo, subir nas escadarias da Notre-Dame, no Arco do Triunfo, no Panthéon. Mas se sua ideia é viajar com calma, visitando uma atração por dia, excluindo correrias e pontos obrigatórios, conhecendo os bairros, a gastronomia e a vida da cidade, esse passe não é para você.

Há quem diga que vale à pena porque ele corta filas. Para cortar filas, basta comprar os ingressos das atrações com antecedência; geralmente os museus disponibilizam a opção em seus sites. Não é preciso comprar o Paris Pass e gastar mais – às vezes, muito mais – só por este motivo.

Então, não saia logo de cara comprando o passe porque alguém disse que é bom. Reflita sobre o que você quer mesmo visitar e aí analise se compensa financeiramente, consultando a lista de atrações inclusas no Paris Pass e, principalmente, fazendo as contas.

Os valores atuais do passe são (preços nov/2017): 2 dias – 48 euros; 4 dias – 62 euros; 6 dias – 74 euros. A lista de atrações, tabelas de preços e locais para adquirir o Paris Museum Pass constam no site oficial www.parismuseumpass.com.

Os valores de algumas das atrações mais visitadas são (preços nov/2017): Louvre – 17 euros ; D’Orsay – 12 euros; Pompidou com expos temporárias – 14,60 euros ; L’Orangerie com expos temporárias – 9 euros; Torres da Notre-Dame – 10 euros ; Versailles – 20 euros .

Veja também: Roteiros Personalizados em Paris ; Air BNB é para quem pode ; Pega-turista: se ficar o bicho come

Deixe um comentário