A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Carreau du Temple: centro cultural no Marais

1 de setembro de 2014

Um centro cultural recém inaugurado traz novos ares e agitação ao 3e arrondissement de Paris. O Carreau du Temple, aberto há pouco mais de 4 meses, tem uma agenda bastante varida que engloba atividades culturais, artísticas e esportivas.

Carreau du Temple_A Viagem Certa_dicas de Paris1

Além de uma imensa ala central (1800 metros quadrados de área), que pode abrigar eventos dos mais variados temas como  arte, gastronomia, moda ou esporte,  no subsolo estão dois estúdios dedicados à dança e à prática de atividades marciais e um ginásio poliesportivos, que acolhem não só equipes de escolas do bairro, mas também associações que ministram cursos que podem ser frenquentados por todos, mediante inscrição e pagamento de uma taxa. Esgrima, karatê, capoeira, judô, circo, dança contemporânea, dança de improviso, Parkour e outras opções estão disponíveis para o ano escolar que se inicia esta semana.

Carreau du Temple_A Viagem Certa_dicas de Paris3

Carreau du Temple_A Viagem Certa_dicas de Paris2

Carreau du Temple_A Viagem Certa1

Carreau du Temple_A Viagem Certa2

Imagens: © Fernando Javier Urquijo / studioMilou Architecture

Na programação cultural, encontros temáticos estão previstos, como por exemplo Street Food Temple, um final de semana inteirinho dedicado à cozinha de rua. A entrada é gratuita; basta comprar suas comidinhas de rua e compartilhar as enormes mesas que estarão à disposição dos vsitante. Um mercado, música e exposições prometem animar o evento! Para se informar sobre a programação completa, basta dar um entrada no site a acessar a Agenda ou então, assine a newsletter para ficar por dentro de tudo. Um café tranquilo e bem simpático serve almoço e fica aberto durante toda a tarde.

Um pouco de sua história

Além da proposta multidiscplinar e dinâmica, o Carreau é um lugar repleto de história. No Séc. XII o bairro fora ocupado pelos integrantes da Ordem dos Cavaleiros dos Templários, que ali ergueram sua cidade murada. Mesmo com a dissolução da referida ordem em 1312, a vila foi mantida, embora tenha passado a ser propriedade da Ordem dos Hospitaliers. Com a Revolução Francesa, ela deixou de existir e sua muralha e torre foram destruídas. Com terrenos a preço de ouro, a região tournou-se super valorizada e, em meados de 1860 (arquiteto Jules de Mérindol), a prefeitura decidiu reformar o mercado coberto construído em 1788 (arquiteto Pérard de Montreuil). A estrutura em madeira foi substituída por outra metálica. O novo mercado passou a ser ponto de encontro da burguesia parisiense. No entanto, durante o Séc. XX, especialmente após a II Guerra Mundial, o mercado ficou praticamente abandonado e correu risco de ser destruído. Apenas em 1982 a população conseguiu inscrevê-lo como Monumento Histórico. Em 2007 o escritório de Arquitetura Milou, de Jean-François Milou, ganhou o concurso para impletação do projeto de revitalização e reforma do Carreau. E após todos estas anos de trabalho, incluindo escavações arqueológicas que resultaram na aparição de inúmeras ossadas de um cemitério medieval, assim como outras dos Sécs. XVI a XVIII, é mais um espaço de encontro para os parisienses e turistas que perambulam por Paris embuscas dos rastros de sua história.

Anote: Le Carreau du Temple; 4, rue Eugène Spuller – 75003; bilheteria seg/s;ab. 11h/19h; para eventos, consultar agenda; metrô Temple/linha 3.

3 comentários para “Carreau du Temple: centro cultural no Marais”

  1. […] é nesse espírito  que o Carreau du Temple, com o apoio do chef Thierry Marx, dedicará um final de semana inteiro em Paris à comida de rua. […]

  2. […] Com tema especial Reino Unido, ele está de casa nova: este ano ele acontece no recém inaugurado Carreau du Temple, um centro cultural enorme que tem agitado o Marais. Em razão da amplitude do lugar, o evento […]

  3. João Barbosa da Silva disse:

    Passamos pela rua do prédio, após descer do metrê Temple, mas não conheciamos sua história. Obrigado pela aula de história.