A Viagem Certa - Tem coisa melhor do que falar sobre a viagem? Só a própria viagem!

O BLOG INDEPENDENTE COM AS MELHORES DICAS DE PARIS: AS QUE NÃO ESTÃO EM TODOS OS GUIAS

Jardim de Le Nôtre renasce em Versailles: Bosquet du Théâtre d’eau

12 de maio de 2015

Sendo um dos inúmeros bosques do imenso jardim do Château de Versailles, o Bosquet do Théâtre d’eau estava adormecido desde 1999, ocasião em que fora devastado por uma impiedosa tempestade que atingiu os domínios do castelo, derrubou árvores e fez um estrago sem igual. Mas sua degradação em relação ao projeto original de Le Nôtre não data do Séc. XIX: já na era de Luís XV o jardim, antes idealizado para ser palco de festas durante o reinado de Luis XIV, perdera seu charme e sua honorabilidade.

Com o intuito de reconstruir o local, a direção do castelo previu um concurso público para trazer nova vida ao bosque. A proposta, no entanto, não se limitava à pura e simples reprodução do projeto de Le Nôtre, mas sim a reinterpretação do mesmo, inserindo o espaço no Séc. XXI por intermédio de um design contemporâneo repleto de autenticidade, harmonia e leveza.

Recebendo carta branca, o paisagista vencedor do projeto, Louis Benech, faz renascer o Bosquet du Théâtre D’Eau. Entre luz e sombra, terra e água, após dois anos de trabalhos o “novo” jardim será aberto ao público a partir de hoje. Um convite à um momento de paz e reflexão, caminhada e repouso, solidão e partilha, num pequeno paraíso onde Séc. XVII e Séc. XXI necessariamente se encontram.

Parte deste contato com o futuro se deve ao projeto do artista plástico Jean-Michel Othonel, responsável pela concepção das fontes do bosque, três verdadeiras esculturas composta de esferas de vidro de Murano que, inspiradas nas danças reais de Luis XIV e nos típicos desenhos dos jardins de Le Nôtre, levam o nome das mesmas: L’Entrée d’Apollon, Le Rigaudon de la Paix e la Bourrée d’Achille. “São essas três danças realizadas pelo rei que deram forma às minhas esculturas. Elas convidam o rei à uma nova dança entre arcos de pérolas de ouro e os espelhos d’água concebidos por Louis Benech” (tradução que elaboramos de parte do discurso do artista no material de divulgação do Château de Versailles).

Bosquet du Theatre d eau_Versailles_A Viagem Certa1

Bosquet du Theatre d eau_Versailles_A Viagem Certa2

Bosquet du Theatre d eau_Versailles_A Viagem Certa3

Detalhes das magníficas fontes de Jean-Michel Othoniel

Com arbustos e árvores recém plantados, o Bosquet foi inaugurado ontem com um ballet especialmente preparado para a ocasião. Da parceria entre a Opéra National de Paris e  o L. A. Dance Project, com a participação especial de Lil Buck, nasceu a coreografia de Julia Eichten,  O’De. O figurino assinado por Janie Taylor, contou com a colaboração de Jean-Michel Othoniel, que reproduziu suas esculturas em acessórios nos cabelos das dançarinas.

O  De_Versailles_A Viagem Certa3

O BalletO’De

O  De_Versailles_A Viagem Certa1

O  De_Versailles_A Viagem Certa2

Detalhes dos acessórios produzidos por Jean-Michel Othoniel.

Com a inauguração do novo jardim, escultor e paisagista se dizem ansiosos com a receptividade do público, já que a ideia é que as pessoas se sintam acolhidas e contentes ao passear num local como estes. À você, leitor A Viagem Certa, cabe conferir.

Jean Michel Othoniel_A Viagem Certa

Jean-Michel  Othoniel em entrevista ontem, em frente às suas fontes

Fotos: A Viagem Certa. Reprodução não autorizada.

Um comentário para “Jardim de Le Nôtre renasce em Versailles: Bosquet du Théâtre d’eau”

  1. cristina paziani disse:

    muito lindo